terça-feira, 27 de junho de 2017

TAG: Problemas de um leitor

Bom dia gente, hoje vim responder uma tag bem legal que achei no blog Livros e bolinhos. Se quiserem conhecer o canal da Juliana no youtube, é só clicar aqui.


E vamos lá para as perguntinhas dessa tag!

1. Você tem 20 mil livros para ler. Como você decide qual lerá?  

Bem, eu não tenho um critério específico para a escolha do livro que vou ler, mas eu tento variar o autor e tal. Tipo, se eu estou lendo atualmente um livro do Stephen King e tenho outros ainda para ler do mesmo autor, então não vou escolher algum desses para a próxima leitura. É mais ou menos isso que eu faço.

2. Você está no meio de um livro, mas não está gostando. Você para ou continua?

Coincidentemente isso aconteceu comigo recentemente, (isso eu vou contar na próxima postagem do blog) mas eu resolvi não abandonar o livro e continuei a leitura, pois poderia fluir melhor mais na frente. Então posso afirmar que raramente abandono um livro, eu meio que me obrigo a ir até o fim, mesmo sem gostar muito.

3. O fim do ano está chegando e você está perto, mas nem tanto, de finalizar sua meta de leitura. O que você faz e como?

Por mais que eu me esforce para atingir a minha meta, eu não me cobro tanto assim. Então eu tento ler o que planejei, mas se houver imprevisto e atrasar, tudo bem, a vida continua. 

4. As capas de uma série que você ama são horríveis, como você lida com isso?

 Pode me desagradar visivelmente, mas se a história realmente for boa, não justifica eu não querer ler ou até possuí-los.

5. Todo mundo, incluindo sua mãe, gosta de um livro que você não gosta. Como você compartilha esse sentimento?

Não tenho problema nenhum com isso, gosto é algo individual e não vou discutir por isso. 

6. Você está lendo um livro e está prestes a começar a chorar em público. Como você lida com isso?

Raramente eu sinto vontade de chorar com algum livro. Não que eu não me emocione com a leitura, mas eu tento interiorizar minhas emoções.

7. A sequência do livro que você ama acabou de sair, mas você esqueceu parte da história do livro anterior. O que você faz? 

Eu leria novamente ou buscaria alguma referência, como resenhas e tal. 

8. Você não quer que NINGUÉM pegue seus livros emprestados. Como você diz não educadamente quando as pessoas perguntam?  

"Certos objetos não se emprestam, como meus livros. Desculpa."

9. Você não conseguiu ler os livros que queria no último mês, o que você faz para voltar a ler mais?

 Infelizmente, os afazeres do dia a dia impedem da gente ler o quanto gostaria, ou até a gente deixa de ler um tempo para focar em outras coisas. Acho válido. Mas não gosto de parar por muito tempo e sempre busco ter um livro dentro da bolsa, pois assim eu tento ler com mais frequência.

10. Há muitos livros novos que foram lançados e que você está morrendo de vontade de ler, quantos deles você realmente compra? 

Eu compro os que mais quero porque fico com medo de acabar. kkkk Se for o que mais quero e o preço me agradar, eu compro para garantir. Claro que não dá pra comprar todos, mas os que mais fico louca para possuir, eu dou preferência.

11. Depois de ter comprado os novos livros que você tanto queria, quanto tempo eles ficam na sua prateleira antes de você ler? 

 Ultimamente eles tem ficado bastante tempo, já que busco ler os que tinham  mais tempo na estante. Então ficam muito tempo, mais do que eu gostaria. Não dá pra ler tanto por conta dos meus afazeres. :(

E é isso gente, espero que tenham gostado da tag.
Até mais! o/ 

terça-feira, 20 de junho de 2017

Resenha - HQ - Destino - Crônicas de mortes anunciadas

Boa tarde gente! Hoje vim resenhar mais uma HQ para vocês. Trata-se de Destino - Crônicas de mortes anunciadas. Para quem leu Sandman, de Neil Gaiman, sabe que Destino é um dos sete irmãos perpétuos e o mais velho deles.
Escrita pela Alisa Kwitney e lançada pela Panini Books, essa HQ faz parte da série Destiny - A Chronicle of Deaths Foretold, e reúne as edições de 1 a 3.



O livro se passa na época da Peste Negra. Temos como protagonista, Ruth, uma mulher que perdeu sua família inteira com a volta da peste, nos anos 2000. Um dia, Ruth recebe a visita de John Ryder, um homem que diz saber o futuro e o passado, oferecendo respostas saídas do Livro do Destino.
Em cada parte da HQ (como falei, o livro é uma reunião de três volumes), temos histórias que se passam em épocas diferentes, e isso eu gostei muito. Cada história  é contada por John Ryder, para as pessoas que ainda resistiram à praga.
Não sei se foi intencional o final meio inexplicável, mas para mim, não ficou bem delineado, e quando li, pensei "Como assim, jovem?". De qualquer forma, a forma como a história é conduzida me agradou. Talvez tenha sido a real intenção mexer com a imaginação do leitor.

As ilustrações são muito bonitas.
Sendo bem sincera, não sei se esse tipo de leitura mais metafórica vai agradar a todos, já que em vários momentos a história fica confusa. Mas para quem já leu Sandman e está mais inteirado com o estilo, acredito que vá gostar da leitura. De qualquer forma, quem nunca leu, pode arriscar ler algo tão singular quanto essa HQ. 
A resenha foi curta, mas fiz com carinho.
Espero que tenham gostado. Até mais e boa leitura! o/

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Rise of the Tomb Raider - O que achei?

Olá gente, bom dia! Hoje vim falar de um game, depois de tanto tempo sem jogar nada. Estou com um problema no ps3 e ainda não sei quando poderei comprar um ps4. :´(
Mas a vida segue e graças ao meu namorado, consegui jogar um dos jogos que  mais estava ansiosa para jogar: Rise of the Tomb Raider. Eu joguei a versão de PC e simplesmente amei, o jogo me surpreendeu nos detalhes dos cenários e na jogabilidade.


Rise of the Tomb Raider é um jogo de categoria ação-aventura, da série mega clássica Tomb Raider. Produdizo pela Crystal Dynamics, foi lançado em 2015 inicialmente para a Microsoft, tanto para Xbox one e Xbox 360, o que causou um desconforte grande aos usuários da sony, como eu. Mas no ano seguinte, com a produção da Square Enix, foi lançado para pc e PS4.
O jogo manteve a pegada do Tomb Raider anterior, só que ainda mais bonito e surpreendente. Achei bem interessante a forma engenhosa de criação e melhoria das armas usadas pela Lara. Ela também consegue criar itens, como explosivos, com objetos encontrados nos cenários. Além disso, ela consegue coletar minerais para a criação de munição, e isso eu realmente amei.
Se você gosta de Uncharted, provavelmente vai gostar desse game. Eu amo. <3



Agora um pouco do enredo...

O pai da Lara Croft, antes de morrer, investigava uma relíquia que supostamente trazia a imortalidade. No jogo, Lara se torna obcecada por tal relíquia, chamada de Fonte Divina. Temos como antagonista da trama, a Trindade, uma organização que busca antes da nossa protagonista, obter o artefato. Essa organização, de caráter religioso, busca destruir artefatos e relíquias místicas.
Lara vai à Sibéria, em florestas congelantes em busca do que ela mais ama: mistérios antigos e eventos místicos. Assim, ela busca provar que seu pai estava correto em relação à Fonte Divina.



Gente, os cenários são de encher os olhos. Confesso que parava no meio do jogo para admirá-los. Eu adorei a jogabilidade, assim como a história também. Vale muito a pena jogar, sem dúvidas. Não precisa ser veterano na franquia, já que a história é fechada e de fácil compreensão.
Indico a todos, não deixem de ter essa experiência.

Boa jogatina e até mais! :*

Resenha - Evangelho de sangue

Bom dia gente! Hoje vim trazer uma resenha um pouco atrasada, já que terminei a leitura do livro na semana passada. Mas enfim... hoje vou f...