sexta-feira, 20 de maio de 2016

Resenha - Hellraiser

Bom dia gente! Hoje vim trazer a resenha de um livro bem curto, mas bom o suficiente para eu ter amado e lido em três dias. Trata-se de Hellraiser, a obra de Clive Barker que deu origem ao filme Hellraiser - Renascido do Inferno, um clássico cult de horror de 1987. O legal é que o mesmo autor do livro dirigiu o filme também, o que eu particularmente acho muito bom. Além desse filme, ainda há outros sete, com o último lançado em 2013. Hoje eu assisti o primeiro, mas a muitos anos atrás eu assisti alguns os quais não me lembro de nada por conta do tempo, então foi bom ler o livro como uma história inédita. Quanto ao filme, eu achei bem legal, dentro do possível para um filme daquela época. Retratou bem a história do livro, mas com algumas mudanças no final. De qualquer forma, vale a pena ler o livro e ver o primeiro filme. Os outros eu ainda irei assistir.
Mas voltando ao livro, essa edição da Darkside é um luxo, a capa imita couro com todo um padrão em baixo relevo e com a figura do Cubo de Lemarchand na capa e na contracapa. Além disso, contém algumas ilustrações bem legais. Várias pessoas que me viram lendo, se admiraram com a beleza desse livro, e não é pra menos, ele é um dos livros mais bonitos que a editora já lançou e um dos mais bonitos da minha estante também.
Chega de blablablá e vamos conhecer um pouco mais da história dessa obra clássica do horror. :)
 

Frank nunca estava satisfeito com os prazeres já experimentados e estava sempre em busca de mais, até que um dia comprou o Cubo de Lemarchand por um vendedor chamado Kircher. Este havia prometido que com esse cubo, ele estaria no limiar de um novo mundo. Frank ouvira falar que o cubo proporcionaria um sonho de uma redoma dos prazeres onde aqueles cansados dos deleites triviais da condição humana poderiam descobrir uma nova definição do regozijo. Ao descobrir o segredo do cubo, um quarteto de cenobitas apareceram no seu quarto, mostrando a Frank um conceito de prazer completamente insano e diferente do que ele esperava. Assim, Frank sumiu do mundo que conhecemos e ficou aprisionado no quarto.

"Seu erro de verdade tinha sido a ingenuidade de acreditar que a sua definição de prazer era a mesma da dos Cenobitas."

Cubo de Lemarchand
 "- A caixa é uma maneira de quebrar a superfície do real - explicou. - Um tipo de invocação por meio da qual nós, os Cenobitas, somos notificados..."  

Cenobitas adaptados para o cinema
 Rory, irmão de Frank, era casado com Júlia e os dois se mudam para uma casa deixada por herança para ele e seu irmão localizada na Lodovico Street. Vizinhos falavam que viram Frank uma última vez naquela casa há um tempo atrás, antes de seu sumiço, que era frequente quando se tratava daquela figura tão aventureira e buscador incansável de novos prazeres.
Na casa havia um quarto úmido e escuro, onde outrora Frank realizara o ritual do cubo de  Lemarchand, onde convocou os cenobitas e se tornou prisioneiro deles naquele mundo onde a dor era constante.

"Da forma como foi, eles trouxeram sofrimento incalculável. Eles o inundaram com tanta sensualidade que sua mente oscilou entre a loucura, então, o iniciaram em experiências que faziam seus nervos convulsionarem só de lembrar. Eles chamavam aquilo de prazer e, talvez, estivessem falando sério. Talvez, não."
 
Júlia teve um caso com Frank pouco tempo antes de seu casamento com Rory, e apaixonada por ele, resolve ajudá-lo quando este, em uma forma completamente bizarra, consegue se comunicar com ela após ter recebido um pouco de sangue de forma acidental quando Rory cortou o dedo, nutrindo assim o chão daquele quarto e fazendo com que Frank saísse de seu cativeiro insano.
Júlia só queria que Frank retornasse ao mundo da forma como ela o conhecia e para isso os dois se uniram, matando inocentes para nutrir o corpo fraco de Frank.
Kirsty, amiga de Rory, é quem o ajuda a investigar o comportamento estranho de Julia, ao mesmo tempo que era apaixonada por ele.

O livro é excelente, é uma história muito bem bolada e insana de uma forma não clichê, onde não dá pra parar de ler até descobrir o final. Super indico a leitura e o primeiro filme dessa série. Amei, amei e amei. ♥
Até mais e boa leitura!

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Resenha - O Hobbit

Boa tarde! Hoje vim falar de um livro conhecido por quase todo mundo, um livro que eu queria muito ler depois que vi os filmes e me apaixonei: O Hobbit.
Escrito por J. R. R. Tolkien, com sua primeira publicação em 1937, O Hobbit antecede a história de O Senhor dos Anéis e conquistou uma legião de fãs pelo mundo desde então.
Eu conheço a obra a bastante tempo, apesar de só agora ter lido de fato o livro.
Existem diversas versões desse livro, afinal é uma obra antigo e traduzido em muitas línguas, mas a versão comemorativa de 75 anos foi a que eu mais gostei e decidi comprar. Existem também outras versões com a capa bem bonita.
A capa é dura e muito bonita, as folhas são amareladas e bem grossas e contém diversas ilustrações do próprio Tolkien, as quais eu amei muito e pude viajar ainda mais profundamente na história.



Bilbo Bolseiro é um hobbit que leva uma vida tranquila e pacata na sua casinha bem abastada no Condado. Se tem uma coisa que Bilbo não gosta são aventuras, pois contrariaria todo o seu estilo de vida. Mas é justamente essa proposta que Gandalf, o mago, leva até a sua porta.

Ilustração de Bilbo Bolseiro em sua casa, por Tolkien

Acompanhado de treze anões: Dwalin, Balin, Kili, Fili, Dori, Nori, Ori, Oin, Gloin, Bifur, Bofur, Bombur e Thorin Escudo de Carvalho, Gandalf convida Bilbo para uma expedição, onde o plano é recuperar o tesouro na Montanha Solitária, onde outrora reinara Thrain, o Rei Sob a Montanha. Thorin, filho de Thrain, neto de Thror, é o líder dessa equipe e seu maior desejo é derrotar Smaug e retomar o tesouro e a fortaleza de sua família que foram roubados pelo dragão.

Ilustração de Smaug feita por Tolkien
 Bilbo, os anões e o mago passam por grandes aventuras envolvendo trolls, lobos, aranhas, orcs e barris. O trajeto até à montanha é lento e sofrido, mas juntos eles conseguem passar por diversas situações e Bilbo mostra ser bem mais do que um bom ladrão e assim eles descobrem o verdadeiro valor da amizade.

Personagens adaptados para os filmes
O livro é ótimo, li rápido e me fez ficar com uma vontade imensa de ler a trilogia de O Senhor dos Anéis, os quais pretendo comprar em breve. Estou até assistindo os filmes novamente porque a leitura do livro realmente faz a gente querer ver o filme. Eu gosto bastante dos filmes, são bem produzidos e eu sou apaixonada pela fotografia.
A história é excelente e esse clima de terra média me envolveu de uma forma inacreditável. ♥

Espero que tenham gostado da resenha, boa leitura!

domingo, 8 de maio de 2016

Resenha - O Demonologista

Olá à todos! Hoje vim resenhar um livro que eu estava muito ansiosa para ler desde o seu lançamento e que finalmente li. Trata-se de O Demonologista, de Andrew Pyper, publicado em 2015 pela editora Darkside. <3
Antes de mais nada, não dá pra falar da história sem antes falar dessa edição lindíssima da Darkside. Gente, nunca tinha visto um livro com um acabamento tão lindo e tão cheio de detalhes. A textura da capa é aveludada e a lombada imita a de um livro velho. Enfim, esse livro é maravilhoso, tenho orgulho de ter ele na minha estante. *-*
O Demonologista é bem estilo Dan Brown, o que achei ótimo, pois boas influências são sempre bem-vindas.


O Demonologista conta de história de David Ullman, um professor da Columbia, especialista em mitologia e narrativa religiosa judaico-cristã, mas principalmente na obra Paraíso Perdido de John Milton.  David é ateu tanto na figura de Deus como na do Diabo. No entanto algo acontece em sua vida que o faz duvidar da sua "certeza".
Ullman recebe a visita da "Mulher Magra" em seu escritório da universidade, convidando-o a ir à Veneza para estudar um caso. O que parecia um passeio comum com sua filha Tess na Itália, se transformou em um divisor de águas na vida de David.
Em Veneza, David testemunha um homem preso em uma cadeira, com um comportamento e voz estranhos, mas na realidade quem estava presente nesse corpo era o Inominável. David registra tudo em uma câmera digital, passando assim a possuir provas da existência desse maligno ser e a ser perseguido por esse mesmo motivo.
O Perseguidor, a mando de seu senhor, tenta a todo custo possuir as provas que David guarda no cofre de um banco, mas David não abre mão assim tão facilmente. 


O Inominável se apodera do corpo de Tess, levando-a a morte. No entanto, seu corpo nunca é encontrado e David inicia uma jornada em busca de sua querida filha, afim de salvá-la do inferno. Nessa busca, ele tem a ajuda de O'Brien, sua melhor amiga, e juntos passam a desmistificar a figura do diabo.
Seguindo pistas e encontrando almas perdidas em diversos locais, além de trechos enigmáticos de Paraíso Perdido, ele se entrega de corpo e alma a esse desafio jamais imaginado por ele.

Eu gostei bastante desse livro, pois além da história, ele me trouxe uma série de reflexões à cerca da vida, da morte, das pessoas, das crenças, da falta delas, etc. Enfim, vale muito a pena a leitura.

E é isso, boa leitura para todos! :)

Resenha - Os Senhores dos Dinossauros

Olá gente, boa tarde a todos! Dessa vez demorei a postar, mas vou explicar o motivo do meu sumiço, certo?  Eu comecei a ler Os Senhores dos...