sexta-feira, 6 de março de 2015

Resenha - A Menina Submersa

Bom dia! Sinto como se tivesse muito tempo que não posto nada aqui, mas o que aconteceu é que essa minha última leitura foi meio lenta, mesmo sendo pequeno o tamanho do livro. Isso se deu por conta da faculdade que voltou, então nesse semestre minhas leituras serão um tanto mais lentas. 
Bem, vamos ao que interessa! O livro que vou resenhar hoje é mais um da DarkSide que todos sabem que eu amo muito. Trata-se de A Menina Submersa: Memórias, da Caitlín R. Kiernan. Esse livro tem a lombada rosa e uma capa no mínimo instigante. Muito bonito, por sinal! E não é só a aparência que é positiva não, o conteúdo também é. Já tinha ele a um tempo na estante e sempre fui curiosa para lê-lo, desde o seu lançamento.


"Vou escrever uma história de fantasmas agora", ela datilografou

Essa história mergulha muito na mente humana de uma garota epilética, de 24 anos, chamada India Morgan Phelps, ou simplesmente Imp. Ela tem um histórico na família, digamos que muito perturbador. Sua mãe Rosemary Anne cometeu suicídio aos 56 anos enquanto estava internada no Hospital Butler. Mesmo estando amarrada à cama e com câmeras de vigilância, ela conseguiu engolir a própria língua e morreu sufocada. Outro suicídio aconteceu com sua avó, chamada Caroline. Diante disso tudo, India se tornou, (vamos chamar de) meio louca.
India toma remédios controlados e encontra-se com Ogilvy, sua psiquiatra. O livro mostra diversos diálogos entre as duas.

"Não tinha percebido que também sou loucca - e que provavelmente sempre havia sido - até alguns anos depois da morte de Rosemary. É um mito que as pessoas loucas não saibam que são loucas. Sem dúvida, muitos de nós são capazes de epifanias e introspecção como qualquer outra pessoa, talvez até mais. Suspeito que passamos muito mais tempo pensando sobre nossos pensamentos do que as pessoas sãs. Ainda assim, simplesmente não tinha me ocorrido que o modo como eu via o mundo significava que eu herdara a "Maldição da Família Phelps"."
Imp

Imp, aos 11 anos, foi levada a um museu por sua mãe no dia do seu aniversário. Foi aí que ela teve o primeiro contato com o quadro da Menina Submersa, de Phillip George Saltonstall.  No quadro está uma garota em um rio, nua e olhando para seu lado  direito entre as árvores. Imp passa a criar uma obsessão por esse quadro, e é nesse contexto que surge Eva Canning em seu caminho. India é atormentada pelo fantasma de Eva, e decide escrever uma história de fantasmas, onde a realidade e a fantasia se misturam.


Abalyn surge na vida de Eva e as duas se tornam namoradas. No entanto, a obsessão de Imp coloca a relação em risco. Imp tem de se livrar de seus fantasmas, mas será que ela consegue? Abalyn será importante nesse momento?

Eu indico a leitura desse livro. Garanto que é algo único, bonito e complexo, e ao mesmo tempo fascinante. É um mergulho (literalmente) na mente humana.
Boa leitura! :)